Carta Aberta ao Cidadão "Normal"

Por Rui Machado.

 

Caríssimo “Normal”, 1

 

     Quando se está vivo, espera-se, no mínimo, que se viva.
 

     Jean-Paul Sartre escreveu que o Homem é antes de tudo livre e que essa liberdade era absoluta ou não existia. Falou ainda da falsificação da liberdade, postulando que esta residia na invenção dos determinismos de toda espécie, que põem, no lugar do nada, o ser. Toda a sua teoria sobre o Homem e a liberdade é extensa, mas este excerto é suficiente e importante para aquilo que lhe quero dizer hoje.

 

     Socorri-me do existencialista francês porque, como adivinhará, concordo em toda a linha com o que defendeu. E defendo-o também, com linguagem menos preparada, é certo, mas com paixão, se me for perdoada a ousadia. De facto, é, para mim, da mais profunda evidência que para se ser (homem) é preciso ser-se livre. Mas, caro “normal”, não esquecer que essa liberdade, quando não existe, é por restrições e entraves que o próprio Homem inventa.

 

     Por isso tanto se fala de liberdade, todos a defendem e todos a querem. Se tivesse preço era vendida com IVA a 6%. Ser livre é votar em quem se deseja, denunciar tudo o que está mal, tudo o que é incorrecto ou tudo o que é injusto; é gritar pelo clube do coração, é usar tatuagens, piercings e não ser despedido; é poder gerir as economias a seu prazer. Isto seria dito e defendido pela maioria das pessoas “normais” como você mesmo. Mas como normais que são, esquecem-se que a liberdade é muito maior do que isso. Aliás, é isso, mas é, sobretudo, outras coisas. A liberdade está em todo o lado. Ser livre é poder trabalhar, ser livre é poder constituir família, ser livre é poder tomar café e conviver quando apetecer, ser livre é sair e voltar só quando todos voltam, ser livre é escolher como passar os tempos livres, ser livre é poder projectar a vida, ser livre é poder odiar e amar quem lhe aprouver, ser livre é tão simples como dormir à hora a que se quer.

 

     Eu sei disto porque não sou “normal” e, para piorar as coisas, sou homem. E assim preciso do que todos precisam para viver e ser feliz. Aqui está a liberdade de Sartre. Quando se está vivo, espera-se, no mínimo, que se viva, como lhe dizia no início. Então permita-me ser livre e pare com todos os entraves que me tem colocado. Aqui, Sartre outra vez, com os determinismos que o Homem inventa. Quebre-me as correntes e surpreenda-se.

 

     Caro “normal” imagine que tudo o que amava estava lá no alto e a única forma de lhe chegar era ter asas. Ao quebrar as minhas correntes está a dar-me asas.

 

     Deixe-me dizer-lhe ainda que lutarei para Viver com a dignidade e liberdade que você vive. Tenho-o em boa conta, mas você não é mais que eu.

 

     Eu e Vossa Excelência, quando estamos felizes, sorrimos; quando estamos tristes, choramos, quando a comida é boa, repetimos; quando é má, fazemos blargh; quando passa alguém perfumado, ficamos com calores, quando temos calor, suamos; quando temos frio, trememos; quando gostamos, abraçamos; quando amamos, lutamos. Pois se somos iguais nisto tudo, vamos ser iguais na liberdade de viver também!

 

    A Vida Independente é um direito e uma necessidade premente que o nosso país tem de parar de ignorar. Todas as pessoas devem interessar a um país. Que todos possam viver o seu país e a sua vida. Eu quero o meu país, eu quero a minha vida.

    

     Eu ando, mas preciso que a minha vida ande.

 

     Grato pela atenção.

     Rui Machado

 

 

1 - Esta carta aberta, a 3 de Dezembro de 2013, foi lida pela atriz São José Lapa, na abertura da Conferência Internacional Vida Independente, organizada pela Câmara Municipal de Lisboa e o Movimento (d)Eficientes indignados do qual o autor é membro da comissão coordenadora.

Discurso sobre o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência 2015

December 10, 2015

Por: Diogo Martins

Co-autoria: Carla Branco

Revisão e dicas: Jorge Falcato, Rui Machado e Pedro Homem de Gouveia

 

Créditos da Imagem: Google Imagens.

 

 

Pessoas… O mundo é feito delas, das suas vontades, das suas vivências, das suas capacidades. As pessoas são o ponto essencial para o desenvolvimento da sociedade.

O início da Vida Independente em Portugal

December 10, 2015

Por Eduardo Jorge

 

Créditos Imagem: Câmara Municipal de Lisboa, 2014.

 

 

A Câmara Municipal de Lisboa (CML), escolheu o dia da pessoa com deficiência, 3 de Dezembro, para apresentação oficial do inicio do seu projecto-piloto de Vida Independente (VI).

Deficiência - Onde Está?

December 02, 2015

Por Filipa Filipe.

 

Créditos Imagem: Google Imagens.

 

 

DEFICIÊNCIA – ONDE ESTÁ?

 

I

 

Partindo do princípio básico de que a vida na Terra é composta por uma quase infinita diversidade de espécies, facilmente se assume, que dentro de uma dada espécie existem membros muito diferentes uns dos outros.

Livro "Unidos no Amor Contra a Indifierença"

November 24, 2015

Por Isabel Barata.

 

Créditos Imagem: Google Imagens.

 


Sou a Isabel Rute Martins Barata, conhecida entre os amigos pela Isa.

 

Nasci em Luanda em Dezembro de 1967, mas regressei a Lisboa ainda não tinha 2 anos. E foi como alfacinha que sempre me identifiquei, pois as minhas origens são quase todas da capital.

 

Licenciei-me em Economia em 1993, exerci, na área Administrativa e Financeira, durante 5 anos.

Era uma Vez uma Cidade

November 24, 2015

Por Jorge Falcato.

 

Créditos Imagem: Google Imagens.

 

 

Imagine que vivia numa cidade em que os passeios tinham um metro de altura e que, para entrar em sua casa, teria que subir umas escadas com degraus de meio metro e passar de lado nas portas.

Rompam-se as Tradições

November 23, 2015

Por Diogo Cunha Martins

 

Créditos Imagem: Lia Ferreira.


Estávamos aos 23 dias de Outubro, onde o Outono não conseguia decidir entre estar a chover à bruta ou calor e sol como se fosse verão, mas dentro da Assembleia da Republica, no meio dos disparates políticos típicos de países de terceiro mundo, como é o caso de Portugal, um deputado atípico tomava posse.

Para entender melhor a RELIGIÃO MUÇULMANA nestes tempos conturbados

November 23, 2015

Por Carlos Céu e Silva.

 

Créditos Imagem: Google Imagens.

Não recebi uma revelação uma única vez que não sentisse que me arrancavam a alma”. Maomé.

Não são os mestres que voam, mas sim os discípulos que fazem voar”. Velho ditado persa.


Este viver debruçado para o mundo – lugar de Deus (Alá) e dos homens – dá aos islâmicos a noção de que a verdade (após a proclamação gur’am a Maomé no ano 610) é transmitida pela fé.

 

 

 

O Degrau

November 23, 2015

Por João Pessoa

 

Crédito Imagens: Google Imagens.

 

 

Na construção daquela rua o encarregado de obra ia dando as ordens aos trabalhadores.

“Eh, Tóino não te esqueças que o passeio nesse sítio tem que ser rebaixado!”- Disse o encarregado gritando.

O Tóino perguntou: “ Qual é a altura?”

A Busca da Felicidade - Um Mito?

November 23, 2015

Por Filipa Filipe.

Créditos Imagem: Google Imagens.

 

I
 

Adverte-se desde já que estas palavras não aspiram ao pretensiosismo de veicular um pensamento original e hermético, sobre este tema tão quente.
 

Posto isso, a pergunta que se impõe rapidamente: o que é a felicidade? Existem diversas respostas que abarcam diferentes perspectivas. Por questões pessoais e pragmáticas, a via escolhida para a construção deste texto cruza alguns pensamentos do existencialismo com outros da psicanálise, num enquadramento não técnico, logo mais acessível.

 

 

 

Quando se Sente Orgulho pelo Trabalho Feito

November 23, 2015

Por Carlos Nogueira.

 

Créditos Imagem: Carlos Nogueira.

 

Sinto um orgulho imenso por ter realizado o meu estágio curricular no Núcleo de Apoio aos Sem-Abrigo da Câmara Municipal de Lisboa, no âmbito da minha licenciatura em Serviço Social (ISCTE).

Eu e a Deficiência

November 23, 2015

Por Maria José Parada Ramos.

 

Créditos Imagem: Carlos Nogueira.

 

 

AO JORGE FALCATO
e a todas as amigas e amigos que ele me permitiu conhecer.

Muito dos meus amigos ditos normais questionam-me sobre as razões que me levam a interessar pela deficiência. Quase sempre ouvem os meus motivos atentos, mas não posso deixar de pressentir um certo incómodo, quase inquietação. Os próprios deficientes, ao conhecerem-me, querem saber o que me trouxe à causa. Respondo logo que sou amiga de infância de um deles e parece bastar.

Ela era Especial

November 23, 2015

Por João Pessoa

 

Créditos Imagem Google Imagens.

 

Eu sentia que ela era especial para mim.
Passava todos os dias pela mesma rua e lá estava ela à janela.
Todos os dias eu sentia que algo me atraía para ela.
Começava a ser doentia a ideia.
Um dia, na mesa do café, comentei com os amigos da mesa que queria conhecer aquela moça que tanto me seduzia.

A Mudança Está em Nós!

November 23, 2015

Por Isabel Barata

 

Créditos: Google Imagens.



Sentimos que há agitação no Mundo que nos rodeia, ninguém se entende e há grandes mudanças económicas e sociais a acontecer. Mas a Vida continua e mesmo que não consigamos acompanhar o ritmo das mudanças, temos que continuar a superar os desafios do dia a dia com coragem e determinação.

Please reload